Por Thauany Melo

Estudo mostrou que muitos homens deixaram de ir ao médico ou abandonaram tratamento nesse período

Foto: Divulgação

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) fez um levantamento para medir o impacto da pandemia na saúde e como atingiu a especialidade. Os dados mostraram que 88% dos participantes se sentiram afetados. No contingente masculino, 75% tinham mais de 40 anos e, desse grupo, 55% deixaram de ir ao médico ou abandonaram o tratamento nesse período.

Foi informado também que 38% dos entrevistados foi pelo menos uma vez ao urologista, 27% ainda não tinham se consultado e 3% alegavam que nunca procurariam um especialista.

Cerca de 500 pessoas de 22 estados responderam a pesquisa on-line, onde 77% eram homens e 23%, mulheres.

“Esses números são preocupantes. Sabemos que até 90% dos pacientes com câncer de próstata em estágio inicial podem ser curados e quase nenhum deles quando diagnosticados com metástases”, disse o urologista e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Dr. Danilo Galante.

Os especialistas ressaltaram que a prevenção do câncer de próstata deve ocorrer durante o ano inteiro, mesmo em meio uma crise sanitária como a que o mundo está passando.

A estimativa para 2020 é de cerca de 66 mil novos casos, com 15.576 mortes relacionadas à doença. O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no mundo.