Connect with us

Política

Bolsonaro e Trump se encontram nos Estados Unidos

Publicado

on

Os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump se encontraram na noite deste sábado (7). Os dois jantaram no resort de Trump em Mar-a-Lago, na Flórida, segundo a agência de notícias Reuters.

Antes do jantar, Trump e Bolsonaro apareceram brevemente. O presidente norte-americano disse que os dois líderes têm uma boa relação e afirmou que os Estados Unidos sempre vão “ajudar o Brasil”.

Bolsonaro e Trump antes de jantar neste sábado (7) em Mar-a-Lago, em Palm Beach, na Flórida. — Foto: AP Photo/Alex Brandon

Bolsonaro e Trump antes de jantar neste sábado (7) em Mar-a-Lago, em Palm Beach, na Flórida. — Foto: AP Photo/Alex Brandon

Depois de dizer que Bolsonaro estava fazendo um “trabalho fantástico” no Brasil, e que a relação entre os dois países nunca esteve tão boa, Trump foi questionado se então não haveria mais imposição de tarifas ao Brasil.

“Eu não faço nenhuma promessa”, disse o norte-americano, com Bolsonaro a seu lado.

Os dois presidentes pararam por alguns minutos na entrada da residência para posar para os fotógrafos, quando Trump fez os comentários.

Em um video postado pelo Palácio do Planalto em sua conta oficial no Twitter, Trump diz que o Brasil deu uma “virada” e que Bolsonaro é um bom amigo, a quem deu “um bom presente”.

“É um cara muito especial, um bom amigo meu, eu lhe dei um bom presente. Nós não cobramos tarifas em algumas coisas, foi um grande presente, ele ficou muito mais popular”, disse Trump.

Bolsonaro respondeu então que algumas coisas que fez no Brasil foram inspiradas no presidente dos EUA.

Em seguida, na mesa do jantar, Trump voltou a elogiar o brasileiro.

“É uma grande honra ter o presidente do Brasil conosco. Ele é um homem sensacional, está fazendo um ótimo trabalho. Nossa relação nunca foi mais próxima. E é muito bom tê-lo aqui”, disse Trump na mesa de jantar onde estavam além de Bolsonaro, seu filho o deputado federal Eduardo e os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

Mesa de jantar com comitivas de Trump e Bolsonaro neste sábado (7), nos Estados Unidos — Foto: Tom Brenner/Reuters

Mesa de jantar com comitivas de Trump e Bolsonaro neste sábado (7), nos Estados Unidos — Foto: Tom Brenner/Reuters

Bolsonaro respondeu rapidamente os elogios, mas aproveitou para ressaltar o que considera um dos trunfos no relacionamento com Trump, o fato de serem ambos presidentes de direita.

“Estou muito feliz de estar aqui. É uma honra pra mim e para o meu país. Eu tenho certeza que num futuro próximo é muito bom contar com um bom relacionamento de direita”, afirmou.

Bolsonaro chegou aos Estados Unidos por volta das 17h40. Ele fará uma visita de quatro dias ao estado da Flórida.

Pauta do encontro

Em nota após o jantar, a Casa Branca informou que os dois presidentes discutiram temas como a aliança estratégica entre os países, os apoios a Guaidó na Venezuela, a novas eleições na Bolívia e também ao acordo de paz no Oriente Médio.

A nota diz ainda que ambos os presidentes instruíram seus funcionários da área de comércio a aprofundar as discussões sobre um pacote comercial bilateral este ano.

Ainda segundo a Casa Branca, o presidente Trump reiterou o apoio dos Estados Unidos ao Brasil no processo de adesão à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A declaração conjunta confirma ainda que os países estão finalizando acordos bilaterais na área de pesquisa e desenvolvimento militar.

Bolsonaro participa de jantar com Donald Trump neste sábado (7), na Flórida

Bolsonaro participa de jantar com Donald Trump neste sábado (7), na Flórida

Aproximação

Bolsonaro faz a quarta viagem aos EUA – a primeira em 2020 – desde que assumiu a Presidência da República. Também será o quarto encontro com Trump.

Trump recebe Bolsonaro na Casa Branca: ‘Brasil e EUA nunca estiveram tão próximos'

Trump recebe Bolsonaro na Casa Branca: ‘Brasil e EUA nunca estiveram tão próximos’

Em março, Bolsonaro foi recebido pelo presidente norte-americano na Casa Branca. Os dois líderes tiveram outros encontros em junho, no Japão, e na Assembleia Geral da ONU, em setembro em Nova York.

Desde a campanha eleitoral, Bolsonaro defende o fortalecimento das relações com os EUA. Fã declarado de Trump, ele elogia o presidente norte-americano e defende sua reeleição neste ano.

Desde a posse de Bolsonaro:

  • Brasil e EUA assinaram um acordo para o lançamento de satélites e foguetes na base de Alcântara (MA)
  • Brasil liberou a entrada no país sem visto de turistas dos EUA
  • EUA apoiaram a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)
  • Departamento de Comércio dos EUA anunciou a saída do Brasil da lista de países em desenvolvimento
  • Trump anunciou sobretaxa ao aço e alumínio do Brasil, porém voltou atrás após pedido do governo brasileiro

Venezuela

Brasil e Estados Unidos estão entre os países que não reconhecem o governo de Nicolás Maduro na Venezuela. As duas nações apoiam o líder opositor Juan Guaidó.

Na última quinta-feira (5), o governo brasileiro determinou a remoção de diplomatas e funcionários que atuam embaixada em Caracas e nos consultados na capital e em Ciudad Guayana, além do vice-consulado, em Santa Elena do Uairén.

O Planalto espera que o governo Maduro adote o mesmo procedimento em relação aos diplomatas que atuam na embaixada do país em Brasília.

Agenda na Flórida

Além do encontro com Trump, a agenda de Bolsonaro reserva até terça-feira (10) compromissos com militares, empresários e brasileiros que residem na Flórida.

Segundo o porta-voz do Planalto, Otávio do Rêgo Barros, a viagem tem a intenção de “reforçar os vínculos” do Brasil com o estado norte-americano, onde vivem cerca de 400 mil brasileiros. Ainda de acordo com o Planalto, a primeira-dama Michelle Bolsonaro acompanha o presidente na viagem.

A comitiva terá os seguintes ministros:

  • Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
  • Fernando Azevedo e Silva (Defesa)
  • Bento Albuquerque (Minas e Energia)
  • Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Comunicações)
  • Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)

Bolsonaro visitará no domingo (8) as instalações militares do Comando Sul (U.S. Southern Command). O comando responde por ações das Forças Armadas de planejamento, operações e cooperação de segurança na América Central, América do Sul e Caribe.

Já na segunda (9),o presidente participará do Seminário Empresarial Brasil-Estados Unidos e deverá se encontrar com a comunidade brasileira na Flórida em um auditório de Miami.

Antes de retornar a Brasília, Bolsonaro estará na terça (10) em uma conferência internacional Brasil-Estados Unidos e visitará uma fábrica da Embraer em Jacksonville.

G1

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp