DestaqueOPINIÃO JOGO ABERTO

Opinião Jogo Aberto – 18 de Outubro de 2019

Bagunça no PSL é culpa desse maldito fundo abastecido com nosso dinheiro.

Que bagunça que está o PSL, partido o qual está filiado o presidente Jair Bolsonaro. Em uma gravação, feita em uma reunião do PSL, feita de bate boca, o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, de Goiás, chega a chamar duas vezes Bolsonaro de vagabundo e diz também que vai “implodir o presidente”. Depois ele deu algumas explicações que, claro, não valem.

A consequência de tudo isso, a gente vê, o PSL está rachado. Estão falando em unir o PSL com o Democratas para que a bancada tenha 80 deputados, porque todo mundo está de olho nesse maldito fundo partidário que vem do nosso bolso, do nosso trabalho, do nosso suor.

Se quiser manter partido vai buscar contribuição dos partidários. Mas eles fizeram a lei, eles fazem a lei, nós os elegemos para que eles nos representem.

Alguém sabe se eles perguntaram a nós se gostaríamos que eles pegassem os nossos impostos para sustentar os partidos deles.

Os partidos que nós apoiamos, muitos de nós apoiamos determinados partidos e somos filiados. Eles que peguem dinheiro dos filiados ao invés de pegar dinheiro de todos os contribuintes.

Houve uma disputa de listas para tirar o deputado Waldir da liderança do partido e colocar o deputado Eduardo Bolsonaro como líder do partido na Câmara – Joice Hasselmann, ex-líder do Congresso, votou a favor desse Delegado Waldir.

Essa disputa foi para decisão na direção da Câmara, por enquanto o Delegado Waldir continua no cargo mesmo depois de falar que Bolsonaro é vagabundo. Vejam que confusão.

Tiraram Joice Hasselmann da liderança do Congresso, já que ela votou contra o presidente, e colocaram o deputado Eduardo Gomes, que foi eleito pelo Solidariedade e está no MDB. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, também é MDB.

Não é só o PSL que é governo, o MDB também é. A gente não tem uma clareza no governo. Neste primeiro ano está cheio de gente que ainda não pegou a rotina da política partidária e está a maior confusão.

O Supremo está decidindo um assunto que não é da Constituição – mas essa já é a rotina do STF – e sim algo que veio do Tribunal Regional do Trabalho que proíbe o Banco do Brasil de usar funcionário de nível médio para fazer função de nível superior alegando que o banco precisa abrir concurso para nível superior.

O STF está se metendo onde? Em uma sociedade de economia mista que tem 65% de ações do Tesouro Nacional. É bom lembrar que o resto não é Tesouro Nacional e sim acionistas particulares, empresas e pessoas.

O Banco do Brasil tem 379 mil acionistas. Então deixe que essa empresa que tem prestar contas aos seus acionistas se administre da melhor maneira e não se metam. Aqui no Brasil, o Estado, a Justiça e o Legislativo brasileiros se metem na vida de empresas e na vida das pessoas. Essas instituições não sabem que estão a serviço das empresas, que são contribuintes e eleitores.

O ministro Marco Aurélio disse que vai longe esse julgamento da segunda instância porque há uma ladainha de pensar que eles estão na academia. Não é bem assim, desde que chegou a TV Justiça, eles pensam que estão na televisão e ficam com aquela falação que não acaba nunca.

Essa tentativa de levar dinheiro do aeroporto de Viracopos é por uma falta de prevenção por parte da polícia. Se houvesse uma prevenção haveriam desistência nesses assaltos que se repetem.

Dessa vez tentaram levar dinheiro de um carro-forte que estava descarregando em um avião no maior aeroporto de carga do Brasil. Levaram até uma metralhadora ponto 50 que tem calibre de 0,5 polegada. Três assaltantes foram mortos, dois em confronto com a polícia e o outro estava com um bebê e a mãe como reféns. O atirador cumpriu o seu dever.

A questão é que os carros dos assaltantes chegaram no aeroporto, então a segurança ainda está falha embora tenham havidos tantos outros assaltos mostrando que medidas acauteladoras deveriam ser tomadas. Todos os passageiros foram prejudicados, os voos foram cancelados.

O áudio do seu Joesley Batista que dizia “Tem que manter isso aí, viu?”, aquela montagem preparada contra o ex-presidente Michel Temer. O assunto foi para a Justiça, houve denúncia de Rodrigo Janot, que chamou de crime.

Agora o juiz disse: “absolvo sumariamente Michel Temer porque os fatos narrados não constituem crime”. Uma pergunta: o ex-presidente foi execrado e quem é que recupera ele de todo desgaste que esse episódio causou?

Por Marco Aurélio

Mostrar mais

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar
Fechar
WhatsApp Fale via: WhatsApp