DestaqueOPINIÃO JOGO ABERTO

Opinião Jogo Aberto- 10 de Setembro de 2019

Quero só ver quem do MP vai fazer um exame de consciência ético.

Na segunda-feira (9), integrantes do Ministério Público anunciaram que fariam manifestações no país inteiro contra a indicação do colega deles Augusto Aras para procurador-geral da República. Em outros tempos, não se anunciava isso. Essa tarefa ficava com a propaganda dos manifestantes, dos relações públicas da manifestação. Não se assumia o papel de agência de promoção de manifestações. Depois que se realizava, se ela virasse notícia, aí sim: era divulgado.

Mas agora os tempos são outros. O anúncio da manifestação ficou maior que a própria manifestação. Vimos duas fotos: em uma tinha oito pessoas e na outra 22 atrás de uma faixa. Passada essa manifestação, fica a pergunta, quem do Ministério Público – sendo um órgão defensor da Constituição – vai fazer um exame de consciência ético para saber se não foi uma insurgência e um perjúrio em relação à Constituição. Porque no artigo 84 da Constituição diz que compete ao presidente da República a nomeação do procurador-geral da República, que precisa ser aprovado pelo Senado.

Eles querem impor uma tal de lista tríplice que foi obtida (ou tirada, para usar o jargão) em uma eleição só da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Aqueles que são da ativa, mas que não são associados, não puderam votar. E puderam votar aqueles que já estão aposentados, mas são associados. Quiseram impor ao presidente da República essa lista que começou nos governos petistas. Isso não é uma tradição.

O presidente ouviu e procurou muita gente e se fixou no Augusto Aras, que é mestre e doutor em direito, tem 60 anos de idade e mais de 30 anos de Ministério Público. Ele, nos próximos dias, vai ser submetido ao Senado porque a Raquel Dodge termina o mandato dela na semana que vem, dia 18, uma quarta-feira.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, já caminhou no corredor do hospital um dia depois de ter passado cinco horas em uma cirurgia que tirou muitas aderências. A caminhada, inclusive, é para evitar aderências.

Ele fica na vertical, caminha com meias elásticas para evitar tombo e está se recuperando bem. Talvez até mais rápido do que os médicos imaginam. O olho de Bolsonaro está na Assembleia da ONU, em Nova Iorque, onde ele deve falar pelo dia 23.

Lula é denunciado mais uma vez pelo Ministério Público, no âmbito da Lava Jato, por corrupção passiva. Ele e o irmão dele, Frei Chico, estão sendo acusados. O irmão dele recebeu mesada da Odebrecht por 13 anos porque ele era sindicalista ligado ao setor petroleiro. Ou seja, perto da Petrobras.

Como corruptores ativos estão Marcelo Odebrecht, o pai dele Emilio Odebrecht e o Alexandrino Aguiar, que foi diretor da empresa. Foi Alexandrino que fez a delação premiada e mostrou que o irmão de Lula estava recebendo dinheiro. Eles estavam na lista como irmãos metralha.

A defesa de Lula disse que ele não tem nada a ver com isso. Lula diz que se a Odebrecht dava mesada para o irmão dele, o problema é da empresa. A defesa do ex-presidente disse que ele foi incriminado nisso pelo fato de eles serem irmãos.

Vamos falar sobre a alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet, que falou que a Amazônia estava pegando fogo e que isso prejudica a humanidade e os moradores da Amazônia. Podemos convidá-la para andar pela Amazônia, tanto no solo, como no ar. Ela escolhe as rotas e os roteiros e dá uma olhada em tudo para aprender sobre a Amazônia.

Assim ela vai falar com muito mais propriedade. Ela não vai achar que são grandes distâncias porque – vejam só – existe uma distância curiosa: o Chile de Norte a Sul é mais comprido que o Brasil de Norte a Sul em 100km.”

Por Marco Aurélio

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Close
WhatsApp chat Fale via: WhatsApp