Saúde

Cancro do pâncreas: O que tem de saber sobre um dos tumores mais mortais

A associação portuguesa de apoio aos doentes com cancro digestivo, Europacolon Portugal, tem registado um aumento nos contactos por parte de doentes e familiares, que procuram informação sobre a sua doença e ajuda. As principais necessidades de informação das pessoas que contactam a associação prendem-se com as opções de tratamento e terapêuticas inovadoras, mas também informações nutricionais e apoio emocional.

O cancro do pâncreas é um dos tipos de cancro digestivo com pior prognóstico e o terceiro com maior taxa de mortalidade, sendo todos os anos diagnosticado em mais de 1.600 portugueses.

A Europacolon Portugal tem desenvolvido, durante vários anos, apelos à sensibilização e maior informação dos doentes e profissionais de saúde e tem-se juntado a várias campanhas e causas internacionais para aumentar a consciencialização para esta doença.

Vitor Neves, o presidente da Europacolon Portugal, afirma: “O nosso empenho, bem como de outras entidades e profissionais de saúde em Portugal e na Europa, tem dado os primeiros passos para termos esperança de conseguir algumas mudanças positivas. Nos últimos dois anos temos conseguido melhorar a abertura para o tema, bem como o espaço que lhe é dedicado. O cancro do pâncreas tem conquistado algum espaço junto de médicos, população e comunicação social de múltiplos países, o que tem permitido chegar a mais pessoas com informação sobre a doença. Acreditamos que por esse motivo possamos estar a registar na Europacolon Portugal um maior número de contactos de pessoas com dúvidas sobre o cancro do pâncreas”.

Para que haja uma maior informação sobre o cancro do pâncreas é importante que os doentes e os médicos estejam atentos aos sintomas de cancro do pâncreas. A sintomatologia pode passar por dores de costas, pele ou olhos amarelados (icterícia), perda de peso inexplicável, dor abdominal e diagnóstico de diabetes. Tem-se registado um maior aumento de diagnóstico deste cancro em pessoas com idades a partir dos 65 anos, pessoas com hábitos tabágicos, com uma alimentação com uma forte componente na ingestão de gorduras e opções menos saudáveis, bem como uma maior ingestão de álcool.

“Uma maior notoriedade da doença pode não só significar um diagnostico mais precoce, como um despertar na investigação e desenvolvimento para novos métodos de diagnóstico e tratamento. Este é o principal objetivo da Europacolon: melhorar a resposta às pessoas diagnosticadas com este tipo de cancro, e estamos agora um passo mais perto de o alcançar” acrescenta Vitor Neves.

A Europacolon lançou um manual informativo sobre o cancro do pâncreas, disponível no seu site, com toda a informação que possa ser importante para o doente com cancro do pâncreas, que inclui explicação sobre o que é o cancro pancreático, o diagnóstico, os tratamentos, o envolvimento dos profissionais de saúde, questões práticas de dieta e nutrição, bem como os apoios disponíveis.

Noticias ao minuto

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Close
WhatsApp chat Fale via: WhatsApp