Connect with us

Geral

Cadáveres são expostos no Monte Everest por derretimento de geleiras

Publicado

on

As geleiras do Monte Everest (8.848 m) estão derretendo e, com isso, expondo os cadáveres de centenas de alpinistas que morreram enquanto tentavam escalar a montanha de maior altitude da Terra.

Acredita-se que quase 300 pessoas tenham morrido no Everest desde a primeira tentativa de atingir o cume. Devido ao frio, muitos corpos estão bem preservados mesmo décadas depois de sua morte.

Especialistas alertam que, à medida que as geleiras derretem na montanha, os cadáveres de muitos desses alpinistas estão sendo expostos.

“Devido ao aquecimento global, o manto de gelo e as geleiras estão derretendo rapidamente e os cadáveres que permaneceram enterrados durante todos esses anos estão se tornando visíveis”, disse Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal, à BBC News.

Como em breve a temporada de primavera deste ano começa, alguns dos corpos estão sendo removidos do lado chinês da montanha.

Um funcionário do governo, que trabalha como oficial de segurança no Everest, afirmou para a BBC que encontrou cerca de 10 cadáveres no último anos em diferentes locais da montanha.

A maioria dos corpos têm aparecido na área da cascata de gelo Khumbu, a 5.486 metros de altitude do lado nepalês do Everest. Outro local que tem visto corpos mortos se tornando expostos é a área do Acampamento 4, também chamada South Col, que é relativamente plana.

Falando à BBC News, um funcionário disse: “Mãos e pernas de cadáveres apareceram no acampamento base também nos últimos anos.”

“Percebemos que o nível de gelo em torno do acampamento base está diminuindo, e é por isso que os corpos estão se tornando expostos”.

Remover os corpos
Recuperar e remover corpos na montanha pode ser caro e difícil. Especialistas dizem que custa de US$ 40 mil a US $ 80 mil para retirar os cadáveres.

“Uma das recuperações mais desafiadoras foi da altura de 8.700 m, perto da cúpula”, disse Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da NMA.

“O corpo estava totalmente congelado e pesava 150kg e teve que ser recuperado de um lugar difícil naquela altitude”.

Especialistas dizem que qualquer decisão sobre o que fazer com um cadáver na montanha também é uma questão muito pessoal. Segundo Alan Arnette, famoso alpinista e escritor, a maioria dos alpinistas gostam de ser deixados nas montanhas caso eles morram.

Fonte:Terra

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp