agronegócios

SICREDI LIBERA R$ 126,9 MILHÕES PARA A AGRICULTURA FAMILIAR

A quantidade de contratos teve um salto de 82,1%, ao passar de 1.777 para 3.237 de uma safra para outra.

As cooperativas do Sicredi na região Centro Norte, que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre, liberaram R$ 126,967 milhões para fomentar os negócios da agricultura familiar nos primeiros quatro meses do Plano Safra 2018/2019 (julho a outubro). O montante é 66% maior que o valor liberado no mesmo período da temporada anterior, quando totalizou R$ 76,452 milhões. A quantidade de contratos teve um salto de 82,1%, ao passar de 1.777 para 3.237 de uma safra para outra.

Os recursos contratados pelos pequenos produtores foram liberados para custeio e investimento, cujos valores foram semelhantes neste ciclo, mas que se comparados ao valor contabilizado na safra 2017/2018 resultam em um crescimento expressivo. No caso do custeio, os agricultores familiares demandaram R$ 63,882 milhões, alta de 22,4% sobre os R$ 52,159 milhões registrados nos primeiros quatro meses da safra passada. Para investir na melhoria da atividade, os produtores demandaram R$ 63,085 milhões de julho a outubro deste ano, contra R$ 24,293 milhões nos mesmos meses de 2017, acréscimo de 159,6%.

Em número de operações, o avanço foi de 4,5% naquelas que envolvem custeio, ao passar de 1.451 para 1.517 de 2017 para 2018. Já a quantidade de contratações para investimento saltou 148%, ao sair de 326 para 810 de um ano para outro. O presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, afirma que o crescimento nas operações de crédito na atividade rural familiar demonstra a confiança que os pequenos produtores têm na instituição financeira cooperativa, que está sempre ao lado dos produtores quando precisam de recursos para custear a produção ou investir na propriedade. “A agricultura familiar é um público importante para o Sicredi e contribuir com o desenvolvimento e crescimento dessa atividade faz parte da nossa missão, que é proporcionar melhoria na qualidade de vida dos nossos associados”.

Entre os associados que tomaram crédito para custeio da atividade está o pecuarista Pedro Nicolau Linck, 62, da cidade de Santa Cruz do Xingu. Há mais de 30 anos na atividade, ele compra bezerros logo após o desmame e faz a engorda dos animais até atingirem de 10 a 12 arrobas (150 a 180 kg). Depois revende os animais para confinadores. Em média, entrega 100 cabeças por temporada. “Também pretendo contratar crédito no Sicredi para investir na propriedade. Construir uma cerca nova, piquetes com praça de alimentação e comprar mais animais”, diz ao comentar que possui um total de 400 hectares, sendo que a atividade é desenvolvida em 98 hectares. O próximo passo é atuar na comercialização de créditos de carbono, já que três quartos da propriedade estão preservados.

Já a produtora rural Zenilda Correia Pires, 58, mantém produção de hortaliças em Paragominas (PA) há 34 anos, desde que partiu de Cachoeiro de Itapemirim (ES) para o Norte do país. Em um dos 25 hectares que possui planta alface, couve, coentro, cebolinha verde e pepino. Outros três hectares são cultivados com milho, que vendia seco e que agora, com a contratação de crédito no Sicredi, passará a plantar milho verde para fabricação de poupa.

Fonte: 030 – mundocoop

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Close
WhatsApp chat Fale via: WhatsApp