Connect with us

Copa do mundo 2018

‘Aula’ do Brasil contra Costa Rica mostra que nem tudo vai mal

Publicado

on

Seleção ainda tateia para encontrar seu melhor futebol na Copa.

 

A estreia da seleção brasileira na Copa de 2018 não foi desastrosa, mas o empate com a Suíça criou o primeiro foco de pressão em Tite e seus comandados. A receita ideal para dissipar os sinais de instabilidade era um Brasil avassalador diante da Costa Rica, mas não foi bem o que aconteceu. Um primeiro tempo tenso, com poucas grandes jogadas, alguns sustos na retaguarda e bastante nervosismo. A guinada positiva veio depois do intervalo, com 52 minutos de pressão ininterrupta em cima da defesa costarriquenha e dois gols.

Esses gols só saíram nos acréscimos, mas a atuação da segunda etapa inteira, chamada de “aula” por Tite, mostra que nem tudo vai mal na seleção brasileira. Em meio à pressão, lesões que atrapalham o planejamento, lances duvidosos de arbitragem e a estrela maior ainda em busca de forma e ritmo, a metade final do segundo jogo do Brasil na Copa é um horizonte que mostra a força do time quando as peças se encaixam.

“No primeiro tempo, eu concordo. No segundo, deu aula. Grande segundo tempo. Grande segundo tempo. Três vezes: grande segundo tempo. Conseguiu botar volume, precisão, Navas [goleiro costarriquenho] jogou muito. No primeiro tempo não, o início foi nervoso, errando passe”.

A frase exata de Tite pode parecer hiperbólica para uma vitória de um dos principais cotados como favoritos na Copa do Mundo sobre a Costa Rica, com dois gol já depois dos 90 minutos regulamentares. Os números, entretanto, estão firmemente do lado do treinador brasileiro.

Depois de chutar a gol só sete vezes na etapa inicial, uma delas em direção ao gol, a seleção metralhou Keylor Navas com 16 finalizações, metade delas no alvo. Na segunda etapa inteira, a Costa Rica só finalizou uma vez, ficando acuada durante todo o tempo. Reflexo das mudanças, especialmente a entrada de Douglas Costa, que “abriu” o time e fez o lado direito voltar a ter participação na construção de jogadas.

A “aula” citada por Tite, entretanto, transcende estatísticas e táticas. O Brasil mostrou firmeza e frieza diante da adversidade. Martelou, martelou e martelou até o último segundo de jogo, bem depois dos 45 minutos previstos, baseando-se na posse de bola e sem apelar de forma exagerada para o chuveirinho. Insistiu e arrancou em São Petersburgo, quando a janela de probabilidade parecia se fechar, os três pontos que queria para afastar o gosto amargo da estreia.

“A seleção soube administrar o jogo e, mais importante, ter paciência. No momento certo, agressividade. Está todo mundo de parabéns pelo empenho, dedicação, organização, conseguimos buscar o resultado”, disse Miranda depois da partida.

A seleção também mostrou na etapa final suas alternativas e a força do banco de reservas. Firmino entrou e jogou ao lado de Gabriel Jesus, ajeitando de cabeça no gol de Coutinho e trazendo perigo à defesa costarriquenha. Douglas Costa incendiou o jogo, mas acabou sofrendo uma lesão na coxa e é dúvida na sequência do Mundial.

Até Neymar mostrou evolução, para além de marcar seu primeiro gol na Copa. Jogou mais coletivamente, teve um pênalti anulado pelo VAR e terminou a partida com 63 passes, contra 38 da estreia (números são da Fifa).

A lesão de Douglas Costa mostra que as adversidades não terminaram para Tite. A classificação ainda não está garantida, e a vitória da Alemanha sobre a Suécia neste sábado reacende a possibilidade de uma reedição das semis de 2014 ainda nas oitavas de final. Caso o treinador brasileiro consiga fazer a seleção repetir, desde o início das próximas partidas, a atuação do segundo tempo diante da Costa Rica, terá bem menos motivos para se preocupar. Com informações da Folhapress.

fonte: noticias ao minuto
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp