Connect with us

Visão de Fato

OPINIÃO JOGO ABERTO: 01/08/2017

Publicado

on

Rondônia decreta o fim da burocracia, amplia transparência e economiza tempo do contribuinte.

A gerente de preços da Supel, Márcia Guedes, dá “adeus” aos processos impressos.

Até há pouco tempo, a papelada governamental em Rondônia alimentava 43 arquivos, utilizando 4,2 mil caixas que custavam R$ 11,7 mil por mês. Secretarias, superintendências e departamentos gastavam R$ 44,2 mil apenas com canetas, clipes, grampos e outros materiais.

Essa situação vem mudando a cada dia, com o funcionamento do Serviço Eletrônico de Informações (SEI) adotado pela Superintendência Estadual de Assuntos Estratégicos (Seae).

Com ele, o governo estadual a decretar o fim da burocracia, de gastos supérfluos e do desperdício de dinheiro público.

Para mudar antigos hábitos, vícios e situações, trabalharam em equipe 1978 pessoas de diversos órgãos, sob a coordenação da superintendente Rosana Vieira de Souza, do diretor da Diretoria Executiva de Tecnologia da Informação e Comunicação (Detic), Ronaldo Sawada, e da coordenadora de administração de finanças na Superintendência Estadual de Gestão e Gastos Públicos (Sugesp), Elizete Gonçalves de Lima .

Com o projeto “Governo sem papel”, Rondônia agora está entre os finalistas do Prêmio Boas Práticas. É o primeiro estado brasileiro que usou suas próprias tecnologias.

Inicialmente, o SEI beneficiou a organização dos processos de admissão e exoneração de servidores, e na sequência, o de compras diárias.

Fonte: Por  Marco  Aurelio

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp