Connect with us

Política

Corrupção eleitoral: Fatos novos complicam situação de prefeito e vice de Monte Negro

Publicado

on

Nesta semana, novas denúncias de compra de votos surgiram contra o prefeito de Monte Negro, Evandro Marques (DEM), e a vice, Micele Albano (SD).

Corrupção eleitoral: Fatos novos complicam situação de prefeito e vice de Monte Negro

Nesta semana, o jornal eletrônico Rondôniavip teve acesso a mais uma grave denúncia feita ao Ministério Público Eleitoral (MPE), onde novos fatos apontam a compra de votos supostamente praticada por aliados e membros da campanha do prefeito de Monte Negro, Evandro Marques (DEM) e a vice, Micele Albano (SD). A novidade negativa pode complicar ainda mais a situação da dupla na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) número 0000211-81.2016.6.22.0025, que começou a ser analisada no começo de dezembro do ano passado.

Em uma das diversas denúncias que está na posse do MPE aponta que os próprios candidatos (Evandro e Micele) teriam oferecido por várias vezes, dinheiro à eleitores para que votassem na dupla.

Em tempos que centenas de milhares de pessoas vão às ruas clamar pelo fim da corrupção na política, em Monte Negro é diferente, a situação a cada dia só piora, já que há várias denúncias de supostos abusos eleitorais cometidos na campanha do prefeito e da vice, além de fatos possivelmente ilegais envolvendo os aliados e apoiadores dos mesmos.

Caminhos difíceis

No mês passado, o Rondôniavip divulgou informações que constam na (AIJE), onde apontam uma suposta contaminação por crimes eleitorais cometidos durante toda a campanha do prefeito eleito de Monte Negro, Evandro Marques (DEM), e da vice, Micele Albano (SD).

De acordo com o processo, ajuizado pelo Ministério Público Eleitoral, sob a responsabilidade da promotora Priscila Matzenbacher Tibes Machado, os eleitos e pessoas ligadas a eles teriam cometido graves crimes como a compra de votos e abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral deste ano que podem comprometer os mandatos. A AIJE foi protocolada após diversas denúncias que chegaram ao conhecimento da promotora.

A ação foi protocolada recentemente na 25ª Zona Eleitoral do Fórum Eleitoral da comarca de Ariquemes, e já está em fase de apuração dos fatos para posterior julgamento.

Mais

Quem também está sendo investigado é o vereador reeleito e mais votado, Joel Venutti, popular “Venutinho” (PSC), o vereador recém-eleito José Edson Gomes Pinto “Batoré” (DEM), além de José Assis Barroso, mais conhecido como Zé Barroso (PDT), que venceu as eleições para a Prefeitura de Monte Negro em 2012, mas não assumiu o cargo por ser “ficha suja”.

Nas eleições do ano passado, Zé Barroso atuou como representante legal de coligação e coordenador de campanha do prefeito eleito Evandro Marques (DEM) e da vice Micele Albano (SD). As acusações são as mesmas que os recém-empossados aos principais cargos do Executivo municipal estão sendo investigados: captação ilícita de sufrágio (compra de votos) e abuso de poder econômico.

Batoré é do mesmo grupo político do prefeito Evandro e da vice Micele e no dia 01 de janeiro foi escolhido pelos vereadores para ser o presidente da Câmara do município. Já Joel Venutti foi o mais votado em 2012 e novamente em 2016, mas estava em uma coligação adversária.

Após as denúncias que levaram a AIJE que investiga os ocupantes dos cargos do Executivo de Monte Negro, o Ministério Público Eleitoral também encontrou fortes indícios do envolvimento de Batoré, que supostamente cometeu os crimes em favor de Evandro, Micele e dele mesmo. Já Zé Barroso teria cometido diversas práticas criminosas para beneficiar o prefeito eleito e a vice, já que ele era coordenador da campanha de ambos.

Fonte:RONDÔNIAVIP

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp