Connect with us

Esporte

Filha de Renato em campo faz Grêmio perder mando da final da Copa do BR

Publicado

on

Carol Portaluppi entrou no gramado da Arena após empate com Cruzeiro na semifinal; clube vê decisão “absurda” do STJD e promete recorrer do julgamento.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu o Grêmio com a perda do mando de campo para o segundo jogo da final da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, no dia 30 de novembro, além do pagamento de multa de R$ 30 mil. O motivo é a entrada de Carol Portaluppi, filha do técnico Renato, no gramado da Arena após o fim da partida da semifinal diante do Cruzeiro. A informação foi divulgada pelo repórter Sérgio Guimarães, da Rádio Gaúcha, na tarde desta quarta-feira.

Renato chamou a sua filha nos minutos finais da partida (confira no vídeo acima), que marcou a classificação gremista para a final contra o Galo. Carol aguardava no túnel da zona mista da Arena e foi conduzida ao campo por um segurança. Sentou no banco de reservas e, logo depois, o árbitro apitou o final da partida. A filha deu um abraço no pai à beira do campo e registrou a festa da torcida e dos jogadores dentro do gramado.

Após o árbitro Thiago Duarte Peixoto relatar o episódio na súmula, o Grêmio foi denunciado no STJD. O clube foi enquadrado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por “deixar de prevenir e reprimir invasão de campo ou local da disputa do evento”. A Procuradoria do órgão, no entanto, havia pedido como pena apenas o pagamento de multa de R$ 100 a R$ 100 mil e não a perda de mando de campo.

O jugalmento é todo exótico (…) A Procuradoria não pediu essa punição tão grave. Não creio na história haver uma punição tão severa. E sempre chamando as considerações pessoais na figura do treinador e sua filha.
Nestor Hein, diretor jurídico do Grêmio

Em julgamento nesta quarta-feira na Terceira Comissão Disciplinar do órgão, no Rio, o relator do processo, Auditor Vanderson Maçullo pediu a perda de um mando de campo e multa de R$ 30 mil como pena do clube em seu voto. Foi acompanhado pelos auditores Otacílio Araújo, Manoel Bezerra e Jurandir Ramos. O único a discordar foi o presidente da comissão, Sérgio Martinez, que pediu apenas multa de R$ 10 mil, sem perda de mando.

Em seu Twitter oficial, o Grêmio informou que vai recorrer da punição. O diretor jurídico do clube, Nestor Hein, estava presenta na sessão e qualificou o julgamento do STJD como “exótico” e qualificou a decisão como “absurda” e “fora da curva”. Segundo ele, o clube deve entrar com pedido de efeito suspensivo para tentar reformar a decisão no Pleno do STJD.

– Os gremistas devem ficar tranquilos. Houve muitas manifestações pessoais sobre Renato e sua filha. Compete ao clube aceitar e manejar o recurso compatível, inesperado, porque se desenhava um julgamento tranquilo. As coisas foram se avolumando contra o Grêmio com essas considerações pessoais ao Renato e sua filha – disse Hein.

O que disseram e como votaram os auditores

Relator, Vanderson Maçullo (multa de R$ 30 mil e perda de mando)
“Um dos processos que mais estudei devido o que está em jogo. Assisti vários vídeos e, em relação a denúncia, sugiro determinar baixa dos autos para verificar possível infração do técnico Renato Gaúcho por também ter dado causa a essa invasão de campo. Ao mérito, o fato é incontroverso. O 213 fala em deixar de prevenir e reprimir. Estou mantendo a denúncia e entendo que a filha do treinador não poderia estar ali. Neste caso aplico a pena de multa de R$ 30 mil e a perda de um mando de campo. O tribunal não está julgando o amor de pai e filha e sim um ato que não é permitido”.

Otacílio Araújo (multa de R$ 30 mil e perda de mando)
“Acho que primeiro foi uma falta de respeito do treinador chamar sua filha para o banco de reservas e depois entrar em campo. Falta de respeito ao campeonato e também a instituição Grêmio. Ali ele quebrou as próprias regras. Um dirigente não pode ficar no banco de reservas e ela também não. Denegriu a imagem do Grêmio e, principalmente, deste tribunal. A invasão ou não acho que não houve, pois foi autorizada a entrar. Quando um segurança iria barrar a filha do técnico que é ídolo do clube? Acho que a medida socioeducativa não vai atender. A identificação houve, mas se fosse qualquer outro torcedor iria para o juizado e ficaria seis meses sem ir ao estádio”.

Manoel Bezerra(multa de R$ 30 mil e perda de mando)
“Se não aplicarmos a norma como deve ser vamos abrir um precedente. Houve uma invasão e é um caso tipicamente midiático. O clube poderia ter feito um boletim de ocorrência. O treinador descumpriu. Só uma pena pecuniária é pouco. Entendo como elevada gravidade por descumprir o previsto. Voto por R$ 30 mil e perda de um mando de campo e para o processo ser baixado para análise da conduta do treinador”

Jurandir Ramos (multa de R$ 30 mil e perda de mando)
“Acho que se aplica na íntegra o inciso II por invasão de campo”

Sérgio Martinez (multa de R$ 10 mil)
 “A Senhorita Carol Portaluppi assistiu o jogo da tribuna. Faltavam dois ou três minutos e ela foi chamada. Lamentável que sua cartilha (advogado) não tenha sido obedecida. Só lamento que o Grêmio não tenha tomado no momento uma autoridade. Acho um exagero punir com perda de mando. Vou ficar com multa de R$ 10 mil”

Renato e Carol Portaluppi na Arena (Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital)Carol Portaluppi registrou imagens da festa no gramado da Arena (Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital)
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp