Connect with us

Olimpíadas Rio 2016

10 coisas para você saber sobre o Dia 1 dos Jogos Olímpicos do Rio

Publicado

on

O primeiro dia oficial dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começou com medalha para o Brasil e muito choro. Além disso, problemas na estrutura e no controle contra protestos ao presidente interino Michel Temer chamaram a atenção. Confira o que de melhor aconteceu neste sábado (6):

Eugene Hoshiko/AP
imagem: Eugene Hoshiko/AP

O primeiro pódio brasileiro na edição carioca dos Jogos foi, além de tudo, a quebra de um jejum. Ao receber a medalha de prata no tiro esportivo na categoria pistola de ar 10m, Felipe Wu deu fim a uma seca que durava 94 anos. Desde a edição da Antuérpia, em 1920, um pódio não era alcançado na disputa do tiro.

…e a primeira geral

Pascal Guyot/AFP
imagem: Pascal Guyot/AFP

Assim como a medalha brasileira, o primeiro ouro geral também saiu no tiro. Na carabina de 10m do tiro esportivo, Virginia Thrasher, de 19 anos, desbancou a chinesa Du Li subiu no lugar mais alto do pódio. “Foi bastante tenso, meu coração estava disparado, mas eu não mudaria isso”, afirmou.

O choro de alegria…

Ricardo Bufolin/CBG
imagem: Ricardo Bufolin/CBG

Depois das quedas nos Jogos de 2008 e 2012, Diego Hypólito voltou ao tablado para se apresentar no solo. Com uma boa apresentação, o brasileiro conseguiu uma vaga para a final individual, com a nota de 15,500. E caiu no choro: “Chorei porque são 12 anos de trabalho. Caí em Pequim, caí em Londres. É difícil enfrentar uma Olimpíada depois de duas quedas. Mas dei a cara a tapa”, explicou.

… e o de tristeza

O choro de Hypólito não foi o único brasileiro neste sábado. Os outros, no entanto, foram de tristeza no judô. Sarah Menezes e Felipe Kitadai não conseguiram conter às lágrimas após as derrotas que acabaram com as chances de conquistar uma medalha. A brasileira, inclusive, precisou ir para a policlínica na Vila Olímpica por causa de umaluxação no cotovelo direito.

O brilho da refugiada

Martin Bureau / AFP
imagem: Martin Bureau / AFP

O time de refugiados teve sua primeira atleta em ação. Aos 18 anos, Yusra Mardini ficou apenas com 41º melhor tempo dos 100m borboleta. O resultado, no entanto, era o que menos importava. A prova era apenas a coroação de uma vida de luta da atleta síria. Ao deixar seu país por causa da guerra, ela precisou nadar junto com a irmã, Sarah, para salvar a vida das pessoas que estavam no barco na travessia entre Turquia e Grécia – muitas não sabiam nadar. “Competir com grandes campeões é empolgante, e estar nos Jogos Olímpicos é tudo que eu quis na vida”, afirmou.

Recorde mundial pulverizado na natação

Matt Slocum/AP
imagem: Matt Slocum/AP

Katinka Hosszú não tomou conhecimento da marca mundial dos 400m medley. Depois de perder uma batalha intensa nas eliminatórias pela manhã, a húngara conseguiu baixar o recorde em mais de dois segundos e, de quebra, faturou a medalha de ouro na prova.

O tempo de 4m26s36 alcançado por Katinka foi mais do que suficiente para desbancar o que havia sido feito pela chinesa Shiwen Ye (4m28s43).

Mulheres classificadas, mas preocupadas

Gonzalo Fuentes/Reuters
imagem: Gonzalo Fuentes/Reuters

Com uma goleada de 5 a 1 sobre a Suécia, a seleção brasileira feminina de futebol garantiu a classificação antecipada para as quartas de final. A nota preocupante, no entanto, ficou com a lesão da atacante Cristiane. Ela sentiu a coxa no segundo tempo e deixou o campo carregada, sem conseguir pisar no chão.

O primeiro drama dos Jogos

Getty Images
imagem: Getty Images

Um dos principais rivais do brasileiro Arthur Zanetti nas argolas, o francês Samir Ait Said sofreu a primeira grave lesão dos Jogos Olímpicos. Durante sua exibição no salto sobre o cavalo, o atleta caiu errado e sua perna esquerda ficou torta, deixando claro que o osso se quebrou. Mais tarde, a delegação francesa informou que o osso da tíbia foi atingido, mas esperam os exames para saber a gravidade.

Judoca faz história para a Argentina

Markus Schreiber/AP Photo
imagem: Markus Schreiber/AP Photo

A primeira medalha de ouro feminina da Argentina na história dos Jogos Olímpicos saiu neste sábado. Depois de conquistar o bronze em Pequim, em 2008, Paula Pareto subiu no lugar mais alto do pódio no Rio ao vencer Jeong Bokyeong por waza-ari. “Aconteceu algo sonhado. Todo mundo que veio tinha mais fé do que eu. Eles fizeram isso possível. Não posso acreditar”.

Confusões nos Jogos

 Paul Gilham/Getty Images
imagem: Paul Gilham/Getty Images

Alguns problemas marcaram o primeiro sábado dos Jogos Olímpicos. Durante a final do tiro com arco, um torcedor foi retirado à força por agentes da Força Nacionalpelo fato de ter gritado “Fora, Temer”. Ele negou que tenha sido o autor do grito de protesto contra o presidente interino.

Em termos de estrutura, um estalo no teto da lanchonete do McDonald’s do Parque Olímpico promoveu uma correria entre os clientes, que deixaram o local. O estabelecimento foi fechado e não houve feridos.

 Fonte: UOL
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp