Connect with us

Mundo

Nova legislação para produção de mudas em Rondônia entrou em vigor neste domingo

Publicado

on

Mudas do viveiro de café da Embrapa

Mudas do viveiro de café da Embrapa

Neste domingo (17) entrou em vigor a Portaria n. 558/2016, da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), que regulamenta os requisitos fitossanitários para produção, comercialização, trânsito, armazenamento e utilização de mudas de café. A legislação foi publicada no Diário Oficial em janeiro e os viveiristas e produtores de café tiveram seis meses para adaptarem-se.

Uma das principais mudanças com a portaria é a exigência de análise em laboratório para confirmar a presença de nematoide (praga do café) nas mudas. As análises só podem ser feitas em laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O presidente da Idaron, Anselmo de Jesus, explica que a portaria foi uma demanda do próprio Governo Estadual, que tem recursos para investir em compras de muda de café para distribuição a agricultores familiares em polos produtivos. “O Governo tem o recurso para investir na cafeicultura, mas para isso é necessário que as mudas estejam sadias”, conta o presidente.

O principal objetivo da Portaria nº 558 é o controle da praga nematoide das galhas, que causa grandes prejuízos em cultivos de café e o seu controle praticamente inexiste. A disseminação desse nematoide ocorre, principalmente, por meio de mudas e solo contaminado.

“Por isso a portaria trata de requisitos que tragam mais segurança para quem adquire as mudas, que só serão comercializadas após laudo emitido por laboratório certificando a sanidade das mudas de café.”, explica o presidente da Idaron.

A gerente de Defesa Vegetal da Idaron, Rachel Barbosa, conta que após o levantamento da ocorrência de pragas no Estado, realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Rondônia, houve uma ampla discussão com entidades que compõem a Comissão de Sementes e Mudas sobre a baixa qualidade sanitária das mudas de café.

Posteriormente foi feita uma revisão da Legislação Federal e de outros estados sobre o tema e houve capacitação dos servidores da Idaron e de viveiristas a respeito da problemática.

“Todos esses acontecimentos contribuíram para a elaboração da portaria que contempla as preocupações e necessidades da defesa agropecuária e de pesquisa de Rondônia e atende os viveiristas no que diz respeito ao prazo para adequação dos novos requisitos, aos critérios obrigatórios e às recomendações para atingir o objetivo final que é garantir uma muda com qualidade sanitária e que promova o desenvolvimento da cafeicultura no Estado de Rondônia, como almeja nosso Governador”, diz a gerente de Defesa Vegetal.

Além da Idaron, participam da Comissão de Sementes e Mudas: Superintendência Federal de Agricultura (SFA/RO), Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Embrapa e Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RO).

Rachel conclui dizendo que “todas essas entidades, assim como produtores e viveiristas compreendem a importância desse novo momento que Rondônia inicia, reconhecendo que não é uma ação isolada e nem de uma só entidade. De fato, já vem sendo feito pelos grandes estados produtores de café como Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná e São Paulo e que não é nenhuma ação inovadora, pois já havia sido determinado pelo Ministério da Agricultura através da Instrução Normativa nº 35 desde 2012”.

 

Fonte
Texto: Amabile Casarin
Fotos: Amabile Casarin
Secom – Governo de Rondônia

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Reservados © 2020 De Fato Rondônia, Por Anderson Leviski

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp