Connect with us

Política

Os extremistas e caras novas podem nos levar a Bolsonaro?

Publicado

on

Bolsonaro vem aí? Com as profundas mudanças que o Brasil e o mundo estão sofrendo, onde representantes extremistas e caras novas começam a ganhar o poder, como Donald Trump nos Estados Unidos e inúmeros prefeitos que nunca foram políticos, eleitos no nosso país, cresce a perspectiva de que ou um cara nova ou um extremista, como o deputado Jair Bolsonaro, possam chegar ao poder. Claro que é apenas um exercício de futurologia, mas não é um raciocínio que se deva ignorar. Trump apavorou o mundo com um discurso “a la Hitler!”, principalmente quando falava das minorias; dos povos latinos e do Oriente Médio. A grande maioria dos americanos o escolheu não por suas virtudes, mas por seus defeitos. Já no Brasil, vitórias impressionantes como a do empresário João Dória, em São Paulo e tantos outros, como o cara nova Hildon Chaves em Porto Velho, monstram que o eleitor não suporta mais muitos dos mesmos de sempre, que se elegem e reelegem e não resolvem nada. Em nível nacional, algumas pesquisas ainda apontam que Lula teria chances em 2018, mas elas têm sido cada vez menores. Aécio é quase carta fora do baralho. Geraldo Alkmin seria o nome da vez, mas, apelidado de “picolé de chuchu” pelo humorista Zé Simão, da Folha, ele é um governante sério, mas que não empolga.

Quem mais? É aí que os extremistas como Bolsonaro crescem ante o eleitorado e mais junto aqueles que o então Presidente americano Richard Nixon, chamava de “maioria silenciosa”. As minorias fazem barulho, mas a maioria silenciosa é quem decide. Bolsonaro ainda tem apenas entre 12 por cento e 14 por cento de preferência. Mas, num contexto em que a economia está à deriva; que minorias impõem suas vontades (Bolsonaro permitiria a invasão de escolas por meia dúzia, impedindo que mais de 270 mil estudantes fossem prejudicados?) e que o crime toma conta do país, por causa de leis vergonhosas que defendem bandidos, o povo não verá numa figura assim o Salvador da Pátria? Ao menos vale pensar um pouco mais sobre isso.

O BOLSA ILEGAL

O pente fino do Bolsa Família ainda não chegou com toda a força em Rondônia, mas, numa série de medidas preliminares, já se descobriu mais de 3 mil famílias que recebiam irregularmente. Só em Porto Velho, mais de 1.300 pagamentos estavam sendo feitos parta quem não deveria receber. Primeiro, mais de 4 mil benefícios suspeitos foram bloqueados na Caixa. Mil deles se comprovaram corretos. Nos demais, a suspeita é de pura mutreta. Os casos sob o olhar das autoridades agora deverão ser encaminhados à Justiça, para que se sabia o que realmente aconteceu e se os que receberam os valores ilegais, terão que devolver aos cofres públicos. No país inteiro, mais de 1 milhão e 300 mil benefícios estavam sendo pagos ilegalmente. Até um gato branco recebeu o dinheiro durante meses. Cadeia neles!

CAMPEÃ NACIONAL

Prefeita Gislaine Clemente, a Lebrinha, foi a prefeita reeleita com o maior percentual de votos em todo o país. Ela comanda a cidade de São Francisco do Guaporé, que é uma das melhores de se viver no Estado. Lebrinha foi a segunda com maior percentual de votos em todo o Brasil, com quase 83 por cento dos votos válidos. Filha do deputado Lebrão, que é uma referência como uma das grandes lideranças políticas daquela região, a jovem Prefeita pavimenta uma carreira política que tem, certamente, muito futuro. Quem conhece São Francisco diz que dá gosto de andar pela cidade. Limpa, bem iluminada, com estradas rurais em excelentes condições e uma qualidade de vida bastante positiva. Se tivesse terceiro mandato, Lebrinha estaria feita!

REUNIÃO DAS SEGUNDAS

Como manter o Estado sob controle, evitar gastos desnecessários, manter os cuidados para que Rondônia continue sendo uma únicas unidades da Federação que ainda não quebrou? Há claro, uma série de medidas tomadas todos os dias, é claro. Mas o chefe da Casa Civil do Governo, Emerson Castro, escreveu sobre uma delas, nas redes sociais, ilustrando com fotos. Contou: “ Reunião de segundas feiras. O governador Confúcio, todo início de semana, por vezes até mais de uma vez, convoca os secretários das áreas “meio” para pauta de ajuste. O controle é diário. É graças a essa postura do nosso governante, que estamos com os compromissos sendo cumpridos e o estado sob controle austero e firme. Temos um Governador pleno, que dialoga com o cidadão olhando nos olhos, sem soberba, desrespeito ou arrogância, mas que sabe de sua responsabilidade como governante político maior. A ordem é reduzir gastos desnecessários, ampliar transparência, intensificar ações e programas em prol do cidadão”.

“O SISTEMA CAIU….”

É incrível como as coisas não andam mesmo, nessa terra onde o contribuinte é tratado como mercadoria de terceira, na maioria dos órgãos públicos. Depois de esperar quase oito anos para a conclusão da obra de reforma do novo prédio do INSS (Migrantes com Jorge Teixeira, em Porto Velho), quem precisa dos serviços estava contando que eles fossem melhorar muito. Não se pode dizer que não melhoraram em termos de prédio e de conforto aos usuários. Mas o atendimento, ah!, esse continua de mal a pior. Nessa semana, o calvário do grande número de pessoas que estavam no INSS para serem atendidos, foi relacionado com a internet. O tal “sistema”, caiu várias vezes. Uma das piores manhãs foi dessa quarta, onde dezenas de pobres coitados aguardavam atendimento, enquanto o tal sistema não funcionava de jeito nenhum.

A GRANA O BNDES TEM!

O jornalista Valbran Júnior, publicou importante informação nas redes sociais, nessa quarta. Segundo ele, “a presidente do BNDES, Maria Silva Bastos, confirmou, em evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria, em Brasília, a inclusão de Rondônia no programa do banco para concessão de serviços de saneamento”. Ou seja, recursos pesados para implantação do sistema de de água e esgoto na Capital, com parceria da iniciativa privada”. Valbran lembrou que essa foi uma das principais bandeiras defendidas pelo prefeito eleito de Porto Velho, dr Hildon Chaves ao longo da campanha eleitoral. Ou seja, o BNDES tem a grana e Hildon tem a vontade. Faltaria agora só encontrar os parceiros da iniciativa privada. Pode ser que dessa vez as obras saiam mesmo. Porque a depender do governo federal e as interferências do Tribunal de Contas da União, nem daqui a meio século teremos 100 por cento de água e esgoto em Porto Velho!

PERGUNTINHA

Você também entrou em parafuso e começou a pensar no pior para o Planeta, com a eleição de Donaldio Trump como novo presidente dos Estados Unidos, o homem que terá aceso ao botão vermelho da destruição??
Fonte:Sérgio Pires / rondoniavip

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp Fale via: WhatsApp